Fale conoscoFacebookFlickr
\ Univ… > Univ… == > Notí… > Polo…

Polo Sul é tema de exposição na FOB-USP

“Scott não voltou ainda… “ (Antártica 2005) é a primeira exposição do Projeto Atelier & Arte da Seção de Eventos Culturais da Prefeitura do Campus USP de Bauru (PUSP-B), que pode ser vista até o dia 30 de abril na Biblioteca da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) da Universidade de São Paulo (USP).

A mostra é uma exposição fotográfica de Eric Schmitt, fotógrafo, com 62 anos, nascido em Badgodesberg, na Alemanha, mas se considera francês porque é filho de pais franceses e residiu perto de Paris e de Toulouse.

Schmitt tem uma formação profissional eclética e trabalhou como técnico de lançamento de balões para o Centro Nacional de Estudos Espaciais na França, para a realização de pesquisas no mundo inteiro.

Segundo o fotógrafo a maior parte dessas pesquisas que utilizam os balões na estratosfera são para estudar a camada de ozônio, mas outros estudos são realizados na área de astronomia e ciências dos materiais.

Com essa atividade Schmitt viajou o mundo inteiro da Lapônia a Antártica, do Equador até a Rússia e também trabalhou em Teresina no Piauí. No Brasil e especificamente em Bauru ele reside há 13 anos.

Schmitt veio para Bauru há 13 anos porque era preciso lançar balões em todas as altitudes: nos Polos, no Equador, nas altitudes médias e nos Trópicos. Bauru é localizada próxima ao Trópico e a estrutura do Instituto de Pesquisas Meteorológicas (IPMet) da Unesp facilitaram o lançamento de balões para a pesquisa.

Em 1998 com 41 anos de idade Schmitt começou a trabalhar com fotografia mesmo não sendo sua primeira função nas expedições que participou. O gosto pela fotografia se acentuou na missão do Equador nas ilhas Galápagos, no Oceano Pacífico, com fotos de aves e da natureza em geral.

A exposição

A mostra “Scott não voltou ainda…” (Antártica 2005) consta de 16 fotografias tiradas num dia de folga da missão na Antártica, que o fotógrafo visitou a cabana de Scott, que foi o segundo explorador que chegou no Polo Sul e não conseguiu voltar e toda sua equipe morreu nessa expedição.

“No início do século 20 essa cabana foi usada uma ou duas vezes e depois ficou no estado que eles deixaram exatamente no momento que saíram para ir ao Polo Sul. Eu fui lá em 2005 e a cabana estava quase intacta, porque ela foi coberta de gelo durante mais de 50 anos.”, acrescentou o fotógrafo.

A cabana foi redescoberta depois que implantaram bases neozelandesas e norte-americanas no local.  Quando Schmitt visitou a cabana em 2005 o local tinha uma atmosfera cheia de fantasmas, porque ela estava intacta com toda a história da expedição do Scott.

História da descoberta do Polo sul

A história da descoberta do Polo sul indica que existiam duas equipes de exploradores: uma do norueguês Amundsen e outra do inglês Scott. Os dois usaram métodos diferentes na expedição: a equipe de Amundsen apostou no uso de cães de trenó, numa aventura leve e não se atrasaram na preparação.

A equipe do inglês Scott apostou em equipamentos mecânicos, que acabou atrasando a preparação porque os trenós de motor quebravam e quando sua equipe foi para o Polo Sul demorou mais, e eles chegaram duas semanas depois do Amundsen e ficaram exaustos e além disso, o tempo piorou e eles não conseguiram voltar. Eles morreram nas barracas que montaram na expedição e na geleira, mais tarde todos os corpos foram encontrados.

Além das fotos quem visitar a exposição pode ler a respeito dessa história, com documentos e fotos resgatadas da época, inclusive um diário do explorador inglês Scott até a última página que ele escreveu antes de morrer.

“Eu acho que para esta exposição eu consegui captar o ambiente que tinha nessa cabana, porque fui na primavera e nos primeiros dias tinha um pouco de sol e os raios de sol estão bem definidos e tem uma luz interessante nas fotos. Quando entrei na cabana eu estava com uma emoção muito forte e espero que tenha conseguido passar esta emoção nas minhas fotos nesta exposição.”, acrescentou o fotógrafo.

Serviço:

Exposição fotográfica “Scott não voltou ainda…”(Antártica 2005)

Período: Até o dia 30 de abril

Local: Biblioteca da FOB-USP

Endereço: Alameda Dr. Octávio Pinheiro Brisolla, 9-75. Vila Universitária, Bauru (SP)

Horário: De segunda a sexta-feira das 8h às 22h e aos sábados das 9h às 12h

Contato: (14) 3235-8394 ou e-mail: centrocultural@usp.br

Jornalista Marianne Ramalho (MTb. 15.744)

Foto: Eric Schmitt com as fotos “Miragem Congelada”, “Cabana Gelada” e “Geografia Antártica”

Crédito da foto: Giane Quintela (Centro Cultural)